terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Eu pago, tu sofres, eles luxo: cumprimentos do paraíso


No jantar de Natal do FMI houve tudo menos austeridade. Houve um repasto oferecido para 7 mil funcionários e convidados em Washington. Durou das 20h até à 1h da madrugada, custou 380 mil euros e tinha menu de quatro páginas, com entradas de caviar, salmão e ostras, cozinha de cinco países, bebidas à discrição. O menu de 4 páginas, divulgado pelo Washington Post, indica que as entradas foram servidas entre as 20h e as 21h30 no 1º andar da sede e incluía uma lista de seis acepipes onde não faltaram os tradicionais “Caviar Crème Fraiche”, as ostras e o salmão defumado. Os foliões podiam depois escolher entre as “estações” indiana, tailandesa/vietnamita, mediterrânica e do Médio Oriente, espanhola, mexicana e até “americana”, espalhadas pelos diversos andares e salões de dois edifícios. Os cocktails especiais tinham nomes como “Cumprimentos do Paraíso”, ou “Mr. Grinch” (?). E as sobremesas foram as mais variadas, de fina pastelaria francesa, bolos e frutas. Segundo o jornal norte-americano, o jantar custou meio milhão de dólares. Os juros pagos por, entre outros, portugueses e gregos dão e sobram para pagar estes luxos. Estes cumprimentos do paraíso são o reverso de toda a fome e de toda a miséria impostas pelo FMI e da ruína que tanto orgulha os carrascos locais. (ler mais)
 

Vagamente relacionado:

«Amigos, 

Este não foi o Natal que merecíamos. Muitas famílias não tiveram na Consoada os pratos que se habituaram. Muitos não conseguiram ter a família toda à mesma mesa. E muitos não puderam dar aos filhos um simples presente.

Já aqui estivemos antes. Já nos sentámos em mesas em que a comida esticava para chegar a todos, já demos aos nossos filhos presentes menores porque não tínhamos como dar outros. Mas a verdade é que para muitos, este foi apenas mais um dia num ano cheio de sacrifícios, e penso muitas vezes neles e no que estão a sofrer.

A eles, e a todos vós, no fim deste ano tão difícil em que tanto já nos foi pedido, peço apenas que procurem a força para, quando olharem os vossos filhos e netos, o façam não com pesar mas com o orgulho de quem sabe que os sacrifícios que fazemos hoje, as difíceis decisões que estamos a tomar, fazemo-lo para que os nossos filhos tenham no futuro um Natal melhor. 

A Laura e eu desejamos a todos umas Festas Felizes. 

Um abraço,
Pedro» – Pedro Passos Coelho, no Facebook

1 comentário:

Facebook share disse...

No jantar de Natal do FMI houve tudo menos austeridade. Houve um repasto oferecido para 7 mil funcionários e convidados em Washington. Durou das 20h até à 1h da madrugada, custou 380 mil euros e tinha menu de quatro páginas, com entradas de caviar, salmão e ostras, cozinha de cinco países, bebidas à discrição. O menu de 4 páginas, divulgado pelo Washington Post, indica que as entradas foram servidas entre as 20h e as 21h30 no 1º andar da sede e incluía uma lista de seis acepipes onde não faltaram os tradicionais “Caviar Crème Fraiche”, as ostras e o salmão defumado. Os comensais podiam depois escolher entre as “estações” indiana, tailandesa/vietnamita, mediterrânica e do Médio Oriente, espanhola, mexicana e até “americana”, espalhadas pelos diversos andares e salões de dois edifícios. Os cocktails especiais tinham nomes como “Cumprimentos do Paraíso”, ou “Mr. Grinch” (?). E as sobremesas foram as mais variadas, de fina pastelaria francesa, bolos e frutas. Segundo o jornal norte-americano, o jantar custou meio milhão de dólares. Os juros pagos por, entre outros, portugueses e gregos dão e sobram para pagar estes luxos. São o reverso da fome e miséria impostas pelo FMI. (ler mais)