terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A tabuada da arraia miúda

A Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária (PJ) anunciou nesta terça-feira a conclusão de uma investigação, iniciada em 2009, que envolve um funcionário do BPN que ao longo de dez anos burlou vários clientes do banco, causando um prejuízo de dez milhões de euros à instituição de crédito. Dias Loureiro e Vítor Constâncio causaram prejuízos de mais de 5,5 mil milhões de euros a todo o povo que teve que os pagar. Um é conselheiro do actual Governo. O outro é vice-presidente do Banco central europeu. Fazendo as contas, dividindo os 5,5 mil milhões causados pela seriedade inquestionável destes dois senhores pelos 10 milhões atribuídos ao funcionário burlão resulta uma diferença de 550 vezes a favor dos primeiros. Esta é a tabuada da arraia miúda.

1 comentário:

Facebook share disse...


A Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária (PJ) anunciou nesta terça-feira a conclusão de uma investigação, iniciada em 2009, que envolve um funcionário do BPN que ao longo de dez anos burlou vários clientes do banco, causando um prejuízo de dez milhões de euros à instituição de crédito. Dias Loureiro e Vítor Constâncio causaram prejuízos de mais de 5,5 mil milhões de euros a todo o povo que teve que os pagar. Um é conselheiro do actual Governo. O outro é vice-presidente do Banco central europeu. Fazendo as contas, dividindo os 5,5 mil milhões causados pela seriedade inquestionável destes dois senhores pelos 10 milhões atribuídos ao funcionário burlão resulta uma diferença de 550 vezes a favor dos primeiros. Esta é a tabuada da arraia miúda.