quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Vida de bicho ou vida de gente? O povo é quem mais ordena.


"Metemos 800 mil pessoas do privado no desemprego. Agora temos de ir ao Estado social e às pessoas", defendeu o administrador da Siemens em Portugal, que também quer pôr os desempregados que recebem subsídio de desemprego - para o qual descontaram - a fazer trabalho social com os beneficiários do rendimento social de inserção. "Qualquer governo sério tem um conselho empresarial que o aconselha", sublinhou o homem da Siemens em Portugal. E se Carlos Melo Ribeiro ali tivesse assento, voltaria a fazer a proposta: "É preciso diminuir 100 a 200 mil funcionários públicos".

Na mesma linha, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, deu a entender, nesta quarta-feira, no Parlamento, que vai propor que o próximo Quadro Financeiro Plurianual da União Europeia englobe verbas para apoiar esta "revisão do Estado Social". A Europa a financiar a destruição e não a criação de emprego. No passado, no tempo de um Cavaco que hoje fala no assunto como se não tivesse responsabilidades directas no processo, a mesma Europa financiou o desmantelamento das nossas pescas e da nossa agricultura, para depois rebentar com a nossa indústria expondo-a à concorrência desleal de produções oriundas de países sem restrições ambientais e com legislações laborais semi-esclavagistas. Não aprendemos nada com os erros do passado. Entrámos para a CEE com agricultura, com pescas, com indústria, com Estado Social. Sairemos dela sem nada disto se continuarmos a fazer o que sempre fizemos, limitar-nos a fazer o que nos mandam.

E ainda temos Estado social. Se deixarmos que também o levem , será a prova final de toda a razão daqueles que nos querem pôr a viver como bichos. E é este o desafio que nos lançam: viver como bichos ou viver como gente? Um povo consciente saberá identificar que é isto que está em jogo e jamais permitirá mais este regresso ao passado. Um povo imbecilizado desvalorizará a questão e deixará que acabem de roubar o que custou tanto a construir. Vida de gente para uma sociedade que reflecte escolhas de gente. E vida de bicho para gente tão desprovida de valores e ideais sociais como os próprios animais. Parece-me justo. O povo é quem mais ordena. Desde 1974. .

5 comentários:

Facebook share disse...

E ainda temos Estado social. Se deixarmos que também o levem , será a prova final de toda a razão daqueles que nos querem pôr a viver como bichos. E é este o desafio que nos lançam: viver como bichos ou viver como gente? Um povo consciente saberá identificar que é isto que está em jogo e jamais permitirá mais este regresso ao passado. Um povo imbecilizado desvalorizará a questão e deixará que acabem de roubar o que custou tanto a construir. Vida de gente para uma sociedade que reflecte escolhas de gente. E vida de bicho para gente tão desprovida de valores e ideais sociais como os próprios animais. Parece-me justo. O povo é quem mais ordena desde 1974. .

Ze Muacho disse...

Amigo, por onde é que tem andado?

"O Povo é quem mais ordena. Desde 1974"."

Deve estar a referir-se a outro país que, certamente, não é Portugal;aqui o povo nem na canga que lhe puseram nos ombros ordena.

Anónimo disse...

Os imbecilizados vencerão. Bichos à vista

Filipe Tourais disse...

O povo ordena pouco porque quer ou porque não tem capacidade para mais. Está na hora de ordenar. Foi isto que quis dizer.

arménio pereira disse...

É minha - desesperançada - convicção de que o povo não tem capacidade para mais. Quem irá ordenar?