segunda-feira, 5 de novembro de 2012

O mercado nunca se engana


Um tribunal federal australiano decidiu a favor de 13 municípios de Nova Gales do Sul que perderam mais de 16,5 milhões de dólares australianos (12,9 milhões de euros) pela aquisição, em 2006, de fundos Rembrandt, um produto financeiro criado pelo banco de investimento holandês ABN Amro e que recebeu a qualificação máxima – de AAA – pela agência de notação financeira Standard and Poor's. A qualificação atribuída pela S&P foi “enganosa e falaciosa” e implicou “declarações negligentes” sobre estes produtos junto de potenciais investidores na Austrália, disse a juíza Jayne Jagot, no julgamento que teve lugar em Sidney. Também nós, um dia, haveremos  de ver julgados e condenados todos aqueles que nos puseram a viver as nossas vidas em função de um roubo organizado à escala mundial feito de "nervosismos" produzidos à medida de uma ganância à qual deram cobertura legal e política.

Vagamente relacionado: Um grupo de economistas – constituído por José Reis, José Manuel Pureza, Manuel Brandão e Maria Manuela Silva – entregou hoje ao Procurador-Geral da República uma queixa contra as agências de rating, com vista a abertura de um inquérito pelo crime de manipulação do mercado (…) [a] apurar “a prática dos actos abusivos que são imputados” às três agências de rating, “a existência de graves prejuízos produzidos nos interesses do Estado e do povo português” e que visa a “identificação dos quadros directivos das ditas agências e os autores” desses actos abusivos. (11 de Abril de 2011)

3 comentários:

Facebook share disse...

A agência de notação financeira Standard and Poor´s (S&P) foi hoje condenada na Austrália a indemnizar 13 municípios locais que perderam milhões de dólares na crise de 2008 com a compra de produtos "tóxicos", aos quais deu boas qualificações.

Gi disse...

E o que qaconteceu a essa queixa de Abril de 2011, sabe, Filipe?

Filipe Tourais disse...

Foi engolido por uma gaveta, não sei.