segunda-feira, 19 de novembro de 2012

No Far West europeu

Convido o leitor a vestir a pele de quem, contra tudo o que continua a definir um Estado de direito, primeiro, viu o salário reduzido entre 5 e 10 por cento, logo a seguir, viu o rendimento anual subtraído de 2 dos 14 salários e já sabe que, em   2013, o salário será novamente comido por um assalto fiscal sem precedentes. Acrescente a tudo isto a notícia de hoje de novo atropelo à lei: aquele Governo que diz andar a trabalhar para restabelecer a confiança decidiu também alterar unilateralmente contratos de crédito à habitação com mais de 10 anos, retirando a bonificação a todos os agregados familiares que ainda aufiram um rendimento anual acima dos 25.460 euros ou detenham um património superior a 100 mil euros. Que confiança é esta que se obtém mostrando ao mundo que Portugal é um país onde as leis e os contratos nada valem? Quem é que, no seu juízo perfeito, se dispõe a investir em Portugal? As notícias do dia dão uma pista: o caso dos submarinos começou hoje a ser julgado e Paulo Portas nem sequer foi acusado. Portugal é cada vez mais a terra das oportunidades para este tipo de empreendedorismo. Os inadaptados ao nosso Far West europeu que emigrem em massa e peçam nova nacionalidade.

1 comentário:

Anónimo disse...

Convido o leitor a vestir a pele de quem, contra tudo o que continua a definir um Estado de direito, primeiro, viu o salário reduzido entre 5 e 10 por cento, logo a seguir, viu o rendimento anual subtraído de 2 dos 14 salários e já sabe que, em 2013, o salário será novamente comido por um assalto fiscal sem precedentes. Acrescente a tudo isto a notícia de hoje de novo atropelo à lei: aquele Governo que diz andar a trabalhar para restabelecer a confiança decidiu também alterar unilateralmente contratos de crédito à habitação com mais de 10 anos, retirando a bonificação a todos os agregados familiares que ainda aufiram um rendimento anual acima dos 25.460 euros ou detenham um património superior a 100 mil euros. Que confiança é esta que se obtém mostrando ao mundo que Portugal é um país onde as leis e os contratos nada valem? Quem é que, no seu juízo perfeito, se dispõe a investir em Portugal? As notícias do dia dão uma pista: o caso dos submarinos começou hoje a ser julgado e Paulo Portas nem sequer foi acusado. Portugal é cada vez mais a terra das oportunidades para este tipo de empreendedorismo. Os inadaptados ao nosso Far West europeu que emigrem em massa e peçam nova nacionalidade.