terça-feira, 6 de novembro de 2012

Mais um caso de polícia


O Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social perdeu, no ano passado, 1500 milhões de euros na bolsa, avança o Correio da Manhã, citando um relatório do Tribunal de Contas. No final de 2011, o Fundo valia menos oito por cento que em 2010, o que corresponde a uma desvalorização três vezes superior à verificada nesse ano. Temos, portanto, que, para além das perdas resultantes de políticas de achatamento salarial e promoção da precariedade, com efeitos directos sobre a base de incidência dos descontos, ampliada pela recessão e pelo desemprego que geram, os dois últimos Governos andaram também a refundar o Estado social jogando na bolsa com o dinheiro das reformas futuras dos portugueses, ao mesmo tempo que cortavam reformas, aumentavam descontos e falavam em envelhecimento populacional para aumentar a idade mínima para a aposentação. Responsabilidade e sentido de Estado, como cantam os comentadores do regime. Porque o dinheiro não desaparece assim, por evaporação, e a uma perda corresponde sempre um ganho, Resta saber quem ficou com todo este dinheiro. Quem possua informação privilegiada, nomeadamente quem tem a proximidade suficiente do grande accionista Estado para saber quando, a que preço e que acções compra e vende, tem todas as condições para enriquecer do dia para a noite. Com as reformas dos portugueses. Há quem diga que o BPN aconteceu porque havia que esconder estes jogos.

(editado)

1 comentário:

arménio pereira disse...

Segundo o Diário Económico (citado pelo Diário de Notícias: http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=2868138&especial=Revistas%20de%20Imprensa&seccao=TV%20e%20MEDIA), são mais 3,8 mil milhões para os "veículos" do BPN, Parvalorem e Parapus (Parups?), em 2013. Um aumento(!!!) de três vezes face à já escandalosa injeção de 1,1 mil milhões em 2012...
Se eu fosse deputado da oposição/jornalista, não passaria um dia em que não perguntasse a quem de direito (cáfila do centrão+cds, governantes, zombie cavaco - em que catacumba se esconde?) quais os destinatários de todo este dinheiro.
Porque é que ninguém se indigna?