quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Em maré de privatizações, há gorduras de estimação


O alerta é lançado no relatório da Procuradoria-Geral da República (PGR) relativo a 2011. Se o Gabinete do Ministério Público, que funciona junto do Tribunal Constitucional, não for reforçado, fica em causa uma das suas missões: o controlo da riqueza dos titulares de cargos políticos. "A manter-se a dimensão do gabinete do MP junto do tribunal, pode colocar-se seriamente em risco a possibilidade prática de se poder realizar uma indagação fáctica inicial", refere o relatório agora tornado público. Não sei por que não fazem uma parceria com o ministério público angolano. Um outsourcing, sei lá, é só uma ideia.

1 comentário:

FB disse...

O alerta é lançado no relatório da Procuradoria-Geral da República (PGR) relativo a 2011. Se o Gabinete do Ministério Público, que funciona junto do Tribunal Constitucional, não for reforçado, fica em causa uma das suas missões: o controlo da riqueza dos titulares de cargos políticos. "A manter-se a dimensão do gabinete do MP junto do tribunal, pode colocar-se seriamente em risco a possibilidade prática de se poder realizar uma indagação fáctica inicial e posteriormente", refere o relatório agora tornado público.