segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Acima das nossas possibilidades


O Tribunal Central Administrativo do Sul acaba de decretar que a CGD terá de "apagar" dos registos da instituição uma acção disciplinar que condena a uma pena de suspensão sem vencimento um dos vários trabalhadores que denunciou práticas de escutas telefónicas ilícitas, uso abusivo de bens públicos, compadrio e branqueamento de actos ilegais cometidos por quadros de topo da instituição. Óptima notícia. Mas agora fica a faltar o procedimento criminal e as penas de prisão correspondentes, neste e nos outros casos em tudo iguais a este. Não podemos continuar eternamente a ser acusados de deixá-los viver acima das nossas possibilidades. Andava para aí uma loura desvairada a dizer que o tempo da impunidade acabou.

Vagamente relacionado: ex-gestores da caixa custam 2 milhões em reformas. A esmagadora maioria continua no activo, estando à frente de grandes empresas ou na carreira de docência do ensino superior.

1 comentário:

Facebook request disse...

O Tribunal Central Administrativo do Sul acaba de decretar que a CGD terá de "apagar" dos registos da instituição uma acção disciplinar que condena a uma pena de suspensão sem vencimento um dos vários trabalhadores que denunciou práticas de escutas telefónicas ilícitas, uso abusivo de bens públicos, compadrio e branqueamento de actos ilegais cometidos por quadros de topo da instituição. òptima notícia. Mas agora fica a faltar o procedimento criminal e as penas de prisão correspondentes, neste e nos outros casos em tudo iguais a este. Não podemos continuar eternamente a ser acusados de deixá-los viver acima das nossas possibilidades.