terça-feira, 9 de outubro de 2012

A quadrilha volta a atacar (2)


Depois dos congelamentos salariais que duram desde 2010, depois da destruição das carreiras com a mesma finalidade de redução salarial introduzida por Sócrates em 2009, depois do corte de entre 5 e 10% aplicado pelo mesmo a salários superiores a 1500 euros, depois do roubo de subsídios de férias e de Natal a partir de 2012 já da autoria do actual Governo, quando já estavam todos a trabalhar para aquecer, o Governo Passos-Portas põe-os a trabalhar aquecidos: os funcionários públicos vão perder o direito ao pagamento dos três primeiros dias de falta por doença e, daí em diante, 10% da remuneração. É a trabalhar com febre e a contagiar todos os colegas que se aumenta a produtividade no trabalho. Têm a certeza que não se esqueceram de mais nada? Ah, sim, claro, fica para a próxima, que roubar tudo de uma vez pode gerar reacções desagradáveis.

1 comentário:

Facebook share disse...

Depois dos congelamentos salariais que duram desde 2010, depois da destruição das carreiras com a mesma finalidade de redução salarial introduzida por Sócrates em 2009, depois do corte de entre 5 e 10% aplicado pelo mesmo a salários superiores a 1500 euros, depois do roubo de subsídios de férias e de Natal a partir de 2012 já da autoria do actual Governo, quando já estavam todos a trabalhar para aquecer, o Governo Passos-Portas põe-nos a trabalhar aquecidos: os funcionários públicos vão perder o direito ao pagamento dos três primeiros dias de falta por doença e, daí em diante, 10% da remuneração. É a trabalhar com febre e a contagiar todos os colegas que se aumenta a produtividade no trabalho. Têm a certeza que não se esqueceram de mais nada? Ah, sim, claro, fica para a próxima, que roubar tudo de uma vez pode gerar reacções.