terça-feira, 24 de julho de 2012

Salvé maravilha


Que se lixem as eleições, o que interessa é Portugal”, disse Passos Coelho aos seus deputados, onde o “Portugal” que interessa é o pasto da sua agenda de cortes, abusos e negócios turvos. Impossível discordar que não tenha quaisquer razões para se preocupar. Passos Coelho tem as sondagens a fundamentarem a sua razão. Até ver, nada neste mundo, nem mesmo a maior calamidade económica e social do pós 25 de Abril, fará com que os portugueses aprendam a lição do centrão e apostem em mudar de vida: se as eleições fossem no próximo fim-de-semana, juntos, PSD, PS e CDS obteriam novamente mais de 75% dos votos e PSD e CDS renovariam a sua maioria absoluta. Para quê ser sensível a um povo que não os castiga nas urnas? Para quem é, bacalhau basta. É que “os políticos são todos iguais”, ou lá o que é, e existe uma maioria que se orgulha de ter descoberto que não vale a pena votar. Que se lixem as eleições. Que se lixe tudo. Este é o verdadeiro consenso nacional.

1 comentário:

FB Request disse...

“Que se lixem as eleições, o que interessa é Portugal”, disse Passos Coelho aos seus deputados, onde o “Portugal” que interessa é o pasto da sua agenda de cortes, abusos e negócios turvos. Impossível discordar que não tenha quaisquer razões para se preocupar. Passos Coelho tem as sondagens a fundamentarem a sua razão. Até ver, nada neste mundo, nem mesmo a maior calamidade económica e social do pós 25 de Abril, fará com que os portugueses aprendam a lição do centrão e apostem em mudar de vida: se as eleições fossem no próximo fim-de-semana, juntos, PSD, PS e CDS obteriam novamente mais de 75% dos votos e PSD e CDS renovariam a sua maioria absoluta. Para quê ser sensível a um povo que não os castiga nas urnas? Para quem é, bacalhau basta. É que “os políticos são todos iguais”, ou lá o que é, e existe uma maioria que se orgulha de ter descoberto que não vale a pena votar. Que se lixem as eleições. Que se lixe tudo. Este é o verdadeiro consenso nacional.