quinta-feira, 12 de julho de 2012

Campanha "salvem os bancos" (continuação, versão espanhola)



Ontem de manhã, o Primeiro-ministro espanhol anunciava a contrapartida que aceitou para os 100 mil milhões da ajuda europeia à banca espanhola: o povo espanhol vai pagar mais IVA e outros impostos, verão reduzidas as prestações sociais, os funcionários públicos espanhóis ficam sem subsídio de Natal, a Segurança Social espanhola vê-se aliviada no correspondente ao que os empregadores deixarão de pagar a partir de agora, etc, etc, etc. Novo pacote de austeridade é muito semelhante àqueles que foram aplicados deste lado da fronteira. Até na forma como foi noticiado: “Rajoy foi obrigado a anunciar um pacote de austeridade” em vez de “Rajoy anuncia novo pacote de austeridade”, sem o “foi obrigado” que não corresponde à verdade e apenas identifica de que lado está quem dá a notícia.

Acto contínuo, pouco depois, e aqui começam as diferenças relativamente ao que acontece deste lado da Ibéria, espontaneamente, centenas de espanhóis saíram à rua para se manifestarem contra o conluio de interesses formado por governantes e banqueiros de novo em acção num ataque aos seus bolsos e aos seus direitos. Espanha não é Portugal, não necessitam sequer dizê-lo. Mas são péssimas notícias também para nós, não fosse Espanha um dos principais destinos das nossas exportações, sobretudo o turismo. Vamos definhar juntos, com a Grécia a servir de bola de cristal quanto ao que nos acontecerá nos tempos mais próximos. Quem não queira ver-se grego, pois que não lhes vista a pele.

1 comentário:

Anónimo disse...

Ontem de manhã, o Primeiro-ministro espanhol anunciava a contrapartida que aceitou para os 100 mil milhões da ajuda europeia à banca espanhola: o povo espanhol vai pagar mais IVA e outros impostos, verão reduzidas as prestações sociais, os funcionários públicos espanhóis ficam sem subsídio de Natal, a Segurança Social espanhola vê-se aliviada no correspondente ao que os empregadores deixarão de pagar a partir de agora, etc, etc, etc. Novo pacote de austeridade é muito semelhante àqueles que foram aplicados deste lado da fronteira. Até na forma como foi noticiado: “Rajoy foi obrigado a anunciar um pacote de austeridade” em vez de “Rajoy anuncia novo pacote de austeridade”, sem o “foi obrigado” que não corresponde à verdade e apenas identifica de que lado está quem dá a notícia.