sexta-feira, 1 de junho de 2012

O que diz o Gaspar

A taxa de desemprego estrutural passou de 5,5% na década de 1990 para 11,5%, revelou hoje o ministro das Finanças. Como é que se mede o tal desemprego estrutural? Não se mede. O “desemprego estrutural” é uma construção teórica: no imaginário liberal, há um valor abaixo do qual a taxa de desemprego nunca cai, mesmo com a economia a funcionar no seu potencial máximo. Podemos, por isso, extrair da revelação fantástica de Vítor Gaspar uma confissão: recebeu o poder com uma taxa de desemprego (11,4%) inferior à do seu mínimo, ou seja, destruiu um país que, quando lhe caiu nas mãos, embora muito longe de ser o das maravilhas, à luz do seu conceito de "desemprego estrutural" e dos valores que aponta, seria um país numa situação que superava as suas melhores expectativas. . Já vale tudo, até elogiar a governação Sócrates. A coisa está mesmo feia.
(corrigido)

1 comentário:

Facebook req. disse...

A taxa de desemprego estrutural passou de 5,5% na década de 1990 para 11,5%, revelou hoje o ministro das Finanças. Como é que se mede o tal desemprego estrutural? Não se mede. O “desemprego estrutural” é uma construção teórica: no imaginário liberal, há um valor abaixo do qual a taxa de desemprego nunca cai, mesmo com a economia a funcionar no seu potencial máximo. Podemos, por isso, extrair da revelação fantástica de Vítor Gaspar uma confissão: recebeu o poder com uma taxa de desemprego (12,4%) apenas um pouco acima do seu mínimo. Já vale tudo, até elogiar os Governos Sócrates. A coisa está mesmo feia.