quarta-feira, 18 de abril de 2012

Sente muito, sua alteza

“Sinto muito. Errei e não voltará a acontecer”. Foi assim, de forma muito breve – e pouco depois de ter tido alta hospitalar –, que o rei de Espanha reagiu ao escândalo suscitado pela caçada ao elefante em que participou secretamente no Botswana e durante a qual partiu a bacia. Imagino a inveja que despertam estas linhas àquela espécie de portugueses que teriam toda a vantagem em ver a pujança das consoantes repetidas dos seus apelidos convertidas em ainda mais privilégios apenas possíveis com a restauração da monarquia em Portugal. Imagino os sonhos que as mesmas linhas desfizeram entre aquela subespécie que se deixa enredar nos contos de reis e rainhas dos primeiros, apesar de não terem consoantes repetidas nos apelidos a converter em privilégios pela restauração da monarquia em Portugal. Termos ao nosso encargo um rei Português que, entre outras nobres ocupações à socapa, gasta umas largas dezenas de milhar de euros para ir caçar uma espécie protegida e que, descoberto pelo acaso de um acidente, a única coisa que tem a dizer a uma Nação em sacrifício é um “sinto muito” é o sonho desta gente. Sinceramente, eu é que sinto muito quando noto a estupidez em vias de extensão.

2 comentários:

Facebook request disse...

“Sinto muito. Errei e não voltará a acontecer”. Foi assim, de forma muito breve – e pouco depois de ter tido alta hospitalar –, que o rei de Espanha reagiu ao escândalo suscitado pela caçada ao elefante em que participou secretamente no Botswana e durante a qual partiu a bacia. Imagino a inveja que despertam estas linhas àquela espécie de portugueses que teriam toda a vantagem em ver a pujança das consoantes repetidas dos seus apelidos convertidas em ainda mais privilégios apenas possíveis com a restauração da monarquia em Portugal. Imagino os sonhos que as mesmas linhas desfizeram entre aquela subespécie que se deixa enredar nos contos de reis e rainhas dos primeiros, apesar de não terem consoantes repetidas nos apelidos a converter em privilégios pela restauração da monarquia em Portugal. Termos ao nosso encargo um rei Português que, entre outras nobres ocupações à socapa, gasta umas largas dezenas de milhar de euros para ir caçar uma espécie protegida e que, descoberto pelo acaso de um acidente, a única coisa que tem a dizer a uma Nação em sacrifício é um “sinto muito” é o sonho desta gente. Sinceramente, eu é que sinto muito. E também faço votos que não se repita.

maria madeira disse...

Já dizia alguém, que as desculpas não se pedem, evitam-se.
Se já não pode evitar a tremenda estupidez e falta de bom senso, pelo menos que devolva aos contribuintes o que roubou, é o mínimo.