sexta-feira, 23 de março de 2012

Ser governante tem mais encanto na hora da recompensa

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) prepara-se para propor Teixeira dos Santos, antigo ministro das Finanças de José Sócrates, para administrador não executivo da PT. A PT, recorde-se, é aquela empresa que fez o tal negócio da venda da sua participação na brasileira Vivo, que lhe permitiu um encaixe de 7,5 mil milhões de euros pelo qual, porque houve um grupo que se opôs, não pagou 1 cêntimo de imposto. Um grupo numeroso, que incluía os deputados dos três partidos “do arco” e todo o Governo. E no Governo, a comandar as tropas, quem estava? Precisamente. Teixeira dos Santos, o Ministro das Finanças que usou toda a sua boa vontade para abdicar de uma receita fiscal de  mais de 1,5 mil milhões de euros. É inteiramente merecida a recompensa que agora receberá de quem tão bem ajudou a enriquecer. Com o nosso dinheiro. E com o acordo do actual Governo. Um dia, também serão recompensados. São sempre.
(editado)

1 comentário:

bombista não-suicida disse...

...eu também já deixei de tentar perceber essas recompensas - a nossa classe política transformou-se num autêntico bando de abutres e sangessugas... isto já não tem remédio - aliás tem, mas essas consideração guardo só para mim...