quarta-feira, 28 de março de 2012

Portugal não era a Grécia

Em entrevista à TVI, Passos Coelho disse que não existe um risco de desvio das contas públicas. É verdade. Existe uma certeza. A proposta de Orçamento Rectificativo não inclui mais medidas de contenção, o que não quer dizer que não existam “medidas do lado da despesa pública” que não estejam previstas. Não assegurou, porém, que, mais tarde, a questão de novas medidas de austeridade não possa colocar-se. “Nunca posso jurar que não sejam precisas mais medidas”. Até porque, disse, a “situação de emergência nacional não está ultrapassada”, há riscos e “as coisas não estão adquiridas. Ah! Afinal, há riscos. E vai haver mais austeridade, pois vai. Mas isso já o sabíamos. A seguir a austeridade vem sempre mais austeridade. São como as mentiras de Passos Coelho. Há sempre uma a seguir à anterior e outra a seguir a essa. Portugal não é a Grécia, nem mais tempo nem mais dinheiro, custe o que custar, enquanto não lhecustar nada, enquanto o poder não fugir.

Sem comentários: