sexta-feira, 9 de março de 2012

O mistério da gripe que só ataca portugueses (#4)

Prossegue o mistério da gripe que só ataca portugueses. Segundo o nono boletim epidemiológico da gripe de 2012, lançado nesta Quinta-feira pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), a taxa de incidência de gripe na população portuguesa continua a aumentar, mas o número de óbitos diminuiu, apesar de continuar muito acima da média para a época. Oficialmente, diz-se que “por todas as razões”. Mas, todas, quais? Não dizem. Apenas que o grupo etário dos 75 e mais anos foi o que teve mais incidência de mortalidade. Com toda a certeza que as autoridades têm dados sobre o nível de rendimento com mais incidência de óbitos. Mas não os revelam. E basta pensar no que mudou por estes dias, a temperatura, que aumentou, para encontrar um forte indício de uma forte relação desta mortalidade estranha apenas para quem não se lembra do quanto aumentaram este ano as tarifas eléctricas, tornando proibitivo o custo do aquecimento, e da enormidade que é a taxa de pobreza que se verifica na faixa etária em causa.


Os velhos mais pobres da Europa, vítimas de uma austeridade que deliberadamente os segrega, estão a sobreviver com dificuldade à ganância que fez aumentar aquelas que já estavam entre as tarifas eléctricas mais caras da Europa. E isto já para não falar em taxas moderadoras para ricos, preços de medicamentos para ricos, transporte de doentes com preços para ricos e na fome que voltou em força a Portugal. Seria importante que assumissem que estas mortes têm uma causa económica. Até que o façam, não haverá o mais leve esboço para inverter esta realidade camuflada por ser a nossa vergonha.


Vagamente relacionado: a EDP obteve lucros de 1125 milhões de euros em 2011, mais 4% do que no ano anterior, o que se traduz no melhor ano de sempre da eléctrica. O dividendo por acção proposto é de 0,185 euros, mais 8% do que em 2010. Os novos accionistas da estatal China Three Gorges irão receber 144 milhões de euros em dividendos referentes ao exercício de 2011, apesar de apenas se terem tornado donos da empresa já em 2012.

Sem comentários: