sexta-feira, 9 de março de 2012

Meio aplauso

A principal alteração à última versão da proposta do Governo de modelo de gestão das escolas, que será debatida nesta sexta-feira pelo Ministério da Educação com as duas principais organizações de sindicatos de professores, diz respeito à composição do conselho pedagógico, que passa a incluir apenas professores, deixando de fora pais, alunos e funcionários. Não sei qual será a posição final dos sindicatos, parece que a ideia lhes agrada, mas apenas se credibilizariam se aplaudissem este recuo até ao tempo em que nos órgãos das escolas não se trabalhava na base do “eu acho que”. Quanto ao Governo, borra a pintura ao juntar a esta proposta a de limitar a eleição do representante de cada departamento no Conselho Pedagógico a uma lista de três nomes a indicar pelo director de cada escola. Quer os coordenadores, quer os directores de escola deveriam ser eleitos directamente pelos docentes, em especial os directores, sem a mãozinha, entre outras, dos caciques das redondezas.

4 comentários:

RLacerda disse...

O Conselho Pedagógico não pode ser mais um espaço de centralismo de poder. Os alunos têm o direito de estar representados nos orgãos que direcionam a sua vida escolar. Sou representante dos alunos neste orgão e sempre fiz o meu melhor para defender os interesses dos meus colegas, defendendo os testes intermédios, defendendo medidas mais eficazes na punição e gestão de comportamentos violentos, indisciplina, e até fazendo perguntas incómodas sobre o funcionamento dos orgãos administrativos e gestão de assistentes operacionais que muitas vezes estão a fumar em vez de estar ao serviço (Direção inclusivé). Fiz tudo o que as Associações de Estudantes, na sua maioria, não fazem, preferindo o forrobodó desenfreado na organização de "festas" em vez de representar o futuro(bom ou mau) do país.

Filipe Tourais disse...

Concordo. Apenas defendo que os professores estejam em maioria. Quanto à presença de pais e funcionários, duvido muito que acrescentem utilidade ao órgão.

RLacerda disse...

Os professores estão já em maioria e os funcionários não fazem parte do Conselho Pedagógico, podem apenas ser chamados pelo Diretor em situações excepcionais, não tendo direito a voto.

Filipe Tourais disse...

Bem sei.