terça-feira, 27 de março de 2012

Dois milagres

Há fortes suspeitas de que todos os cegos do país tenham começado a ver com as doses de austeridade reforçadas neste ano. As finanças estão a recusar os atestados de incapacidade que foram apresentados por estes cidadãos na entrega das declarações de rendimentos até ao ano passado, apesar de, como escrevi aqui, não figurar neles qualquer prazo de validade e de certificarem incapacidades permanentes e irreversíveis. Para já, as finanças não confirmam o milagre, mas podemos constatar que obrigou a outro: a ACAPo, a associação que representa os cegos e amblíopes de Portugal, desta vez veio a público reclamar o que não reclamou quando, em 2007, o Governo Sócrates retirou grande parte dos benefícios fiscais a que tinham direito. É o que resta deles que hoje as finanças tentam levar e que a ACAPO tenta impedir. Terão começado a ver que não devem calar quando os seus direitos são triturados. Haverá poucos milagres maiores do que este num país como o nosso, de curvados de mão estendida.

Sem comentários: