sexta-feira, 30 de março de 2012

Aulas práticas sobre voto útil: trabalho sem direitos

Afinal, espremidinhas, espremidinhas, as tão badaladas divergências no seio da bancada do PS suscitadas pelo novo Código laboral resultaram em apenas um voto contra, da deputada  Isabel Moreira. A importância do momento ficou sublinhada pelas faltas de comparência: durante a votação estiveram presentes apenas 60 dos 74 deputados eleitos pelas listas do PS. A proposta acabou por ser aprovada pelos votos do PSD e CDS, com a abstenção do PS e os votos contra do PCP, BE, Verdes e dos deputados Isabel Moreira (PS) e Ribeiro e Castro (CDS).

2 comentários:

Facebook request disse...

Tanta treta que havia divergências na bancada do PS e apenas uma deputada votou contra o Código do Trabalho. Se calhar, os divergentes foram os mais que muitos deputados do PS que hoje faltaram ao serviço (14 em 74). A causa do trabalho com direitos não foi suficientemente importante para que não se baldassem.

Anónimo disse...

O problema do PS nao e so de mudanca de palavreado, ou de emitir criticas hipocriticas sobre a sua accao passada; isso qualquer mentiroso faz, e nao faltam mentirosos. O que importa agora, para que o PS se reerga no firmamento da dignidade, e sobretudo no das alternativas crediveis de poder ao PSD, e que varra do seu interior os mais importantes dirigentes do Partido, sobretudo os que tiveram responsabilidades governamentais ou parlamentares. So assim o PS podera lavar-se de um passado de vergonha e de tragedia para o povo portugues. Enquanto nao o fizer nao merece o Poder, mas sim o deserto!