segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

OK, chefe!

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, apelou hoje aos portugueses para serem “mais exigentes”, “menos complacentes” e “menos piegas”, porque só assim será possível ganhar credibilidade e criar condições para superar a crise. Desta vez, parece-me, tem toda a razão. As políticas do Governo estão a enterrar o país a cada dia que passa, temos que ser mais exigentes. Continuam a delapidar o Estado social, a roubar direitos a quem trabalha e a sobrecarregar pobres e remediados, ao mesmo tempo que mantêm intactos os privilégios dos mais ricos entre os ricos e lhes ampliam direitos especiais de enriquecimento, atribuindo-lhes rendas e produzindo uma legislação laboral à medida da sua ganância: temos que deixar de ser tão complacentes com semelhante sucessão de abusos. Quanto ao deixarmos de ser piegas, pois seria um convite: “mandem-me à merda”. Já que tanto insiste... obedeço de boa vontade. Haja pachorra.

2 comentários:

Rui Ratão disse...

O discurso do Coelho começa a ser cada vez mais radical e, em simultâneo, destrambelhado.

Anónimo disse...

Este tipo de demagogia é tudo menos estranha à história recente...