sábado, 25 de fevereiro de 2012

Aulas práticas sobre voto útil: roubalheira


A direita votou contra a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito que se impõe fazer ao BPN. E não foram necessárias nem 24 horas para que os cálculos que o deputado João Semedo – no vídeo –­ fez sobre quanto nos custou o banquete promovido conjuntamente pelo socratismo e pelo cavaquismo pré e pós socratismo ficassem desactualizados. Repare-se no título da notícia que nos dá conta de mais este assalto ao bolso dos contribuintes: “Estado tem de emprestar mais 300 milhões para vender BPN”. Tem implícita uma venda obrigatória que não o é, a palavra “Estado” é escolhida na vez de “Governo” e o “tem de” aparece na vez da habilidade com que o negócio da venda foi feito à margem da Comissão de Acompanhamento das Reprivatizações, cujo parecer, este sim, é obrigatório

Resumindo: temos o "direito" a pagar, mas não o direito de saber que vigarices são encobertas com o nosso dinheiro. Agradeçamo-lo à utilidade dos votos daqueles que elegeram a actual maioria, mas também à não menos útil abstenção que permitiu que os partidos implicados no maior roubo de todos os tempos alguma vez praticado em Portugal obtivessem uma confortável representação parlamentar com mais de 80% de deputados eleitos. Tenho uma vaga ideia sobre qual seria o vencedor caso houvesse uma eleição em que as duas escolhas possíveis fossem - não se aborrecem se escrever novamente? - Dias Loureiro e João Semedo.

1 comentário:

Anónimo disse...

A ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, surpreendeu-nos com mais uma nomeação. Numa época de grande contenção, continua a contratar indiferente aos cortes anunciados pelo seu Governo. Para que não restem dúvidas publica-se o despacho completo.
Diário da República, 2ª série — Nº 20 — 27 de Janeiro de 2012.
Ministério da Justiça. Gabinete da Ministra. Despacho nº 1210/2012.
1 — Nos termos do disposto no nº 3 do artigo 2º do Decreto-Lei nº 262/88, de 23 de Julho, nomeio o licenciado Ricardo José Galo Negrão dos Santos, para realizar estudos, trabalhos e prestar conselho técnico ao meu Gabinete no âmbito da área da informática e das novas tecnologias, pelo período de um ano, renovável automática e tacitamente por iguais períodos, podendo a presente nomeação ser revogada a todo o tempo.
2 — Ao nomeado é atribuída a remuneração mensal correspondente a 3.892,82 euros, acrescida dos subsídios de férias e de Natal de igual montante, subsídio de refeição, bem como das despesas de representação fixadas para os adjuntos dos gabinetes dos membros do Governo. O presente despacho produz efeitos a 1 de Janeiro de 2012.
19 de Janeiro de 2012. — A ministra da Justiça, Paula Maria von Hafe Teixeira da Cruz.
tirem as vossas conclusoes, o socrates é que era corrupto e ladrão, foi o passos coelho e paulinho portas das feiras que iam salvar-nos dos BOYS e da ruína. entratanto vemos aumentar o preco de leite, milhares desemregados e sem emprego, imigrar?