sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Responsabilidade e sentido de Estado à moda da casa

Dois insultos. O primeiro, nos Passos Perdidos, por Passos Coelho, que não respondeu às perguntas dos jornalistas, mas desabafou que já eram “horas” de ir “trabalhar”: para o PM, na Assembleia da República, pelos vistos, não se trabalha. Assunção Esteves não quis ficar-lhe atrás e disse que os deputados não são funcionários públicos. Afinal, na Assembleia da República trabalha-se, quem não faz nenhum são os funcionários públicos. O nível de duas das mais altas figuras do Estado português fica retratado. Espectáculo miserável..

2 comentários:

Anónimo disse...

Os portugueses já conheciam aqueles que elegeram.
Nenhuma surpresa.
Só têm(temos) o que merecem.

Filipe Tourais disse...

Fala de surpresa, eude repúdio.