quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Para ajudar à festa

O preço dos combustíveis vai aumentar. A União Europeia chegou a um acordo de princípio para proibir as importações de petróleo iraniano, uma iniciativa que acentua a pressão internacional para que Teerão aceite parar, incondicionalmente, com aquele que dizem ser o seu programa nuclear. Nada que ver, portanto, com questões humanitárias ou de direitos humanos, tão enxovalhados pela ditadura iraniana. E também nada a ver com a variável económica, pelo menos aquela não directamente relacionada com o negócio das guerras. O principal lesado é a Grécia, que importa do Irão um terço do petróleo que consome e que, por casualidade, desta vez já com a economia completamente paralisada e com o seu povo sem nada para roubar, avisa que precisa de mais 150 mil milhões de euros para se salvar da bancarrota. Grande surpresa, a austeridade, que nunca funcionou em lado nenhum, também não funcionou na Grécia. Revelou-se novamente uma arma de destruição massiva.

Sem comentários: