domingo, 8 de janeiro de 2012

O povo é quem mais ordena

As farmácias da Madeira, reunidas hoje com representantes da direcção da respectiva Associação Nacional, confirmaram a decisão de suspender a venda a crédito aos beneficiários do Serviço Regional de Saúde. Os madeirenses vão deixar de ter o desconto automático nos medicamentos comparticipados porque reconduziram no poder um Governo Regional que deve às farmácias as comparticipações no preço dos medicamentos desde Setembro de 2009, no valor de 77 milhões de euros, e, tendo acordado pagar a dívida em prestações mensais de quatro milhões, faltou ao prometido. Confiar ou deixar o poder cair em mãos erradas tem sempre o seu preço. E pagam sempre os mesmos. Já deviam sabê-lo, o voto condiciona vidas, não é uma mera manifestação de simpatias.

Sem comentários: