sábado, 28 de janeiro de 2012

O El Dorado angolano, na primeira pessoa

Chamo a vossa atenção para o relato do incidente vergonhoso que ocorreu no aeroporto de Luanda no final da semana que ora termina, deixado na caixa de comentários do post que lhe dediquei por um dos nossos compatriotas que o sentiram na pele. Cada um que retire as suas conclusões, tanto quanto ao tratamento servil dispensado ao caso pela diplomacia portuguesa, quer quanto ao balanço que todos devemos fazer sobre um negócio que vende a dignidade nacional a troco da fortuna prometida a quem parte à aventura e que apenas bafeja uma minoria que sabe jogar com os dados viciados de um jogo com as regras da ladroagem e da prepotência do regime angolano: incluem desde humilhações logo à chegada ao aeroporto, como no caso relatado, até execuções a tiro feitas à luz do dia. Caberia às autoridades nacionais defenderem os seus cidadãos e não pôrem-se ao lado dos bandidos. Relato aqui.

Sem comentários: