sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

E é para quem quer

O mesmo Estado, leia-se, o mesmo Governo, que, como vimos ontem, não tem qualquer preocupação em tornar acessível a todos o instrumento de comunicação institucional com os seus cidadãos, como manda a Constituição da República Portuguesa, obriga aqueles que exclui com tal negligência grosseira a uma complicada sucessão de tramitações burocráticas que culmina no pagamento de 50 euros pela renovação de atestados de incapacidade obrigatórios para poderem usufruir dos poucos benefícios que lhes são concedidos, mesmo que no atestado anterior se leia que a incapacidade de que são portadores é permanente e irreversível. Esta não é a marca Portugal que querem vender ao mundo: envergonha-nos como país. Ler e ouvir aqui.

Sem comentários: