quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo


Qualquer cuidado de enfermagem no âmbito dos cuidados de saúde primários terá um custo de quatro euros para os utentes que não estão isentos, mas esta é apenas uma das novidades do postal de feliz ano novo publicado numa portaria conjunta dos ministérios da Saúde e das Finanças que se sobrepõe em importância à própria Constituição da República Portuguesa. A nossa Lei Fundamental consagra o “direito à protecção da saúde” “através de um serviço nacional de saúde universal e geral e, tendo em conta as condições económicas e sociais dos cidadãos, tendencialmente gratuito”. O OE 2012, pela via da desorçamentação, condiciona a qualidade do serviço prestado pelo SNS. E a Portaria consagra uma concorrência desigual com um sector privado que agradece a oportunidade de negócio nascida sobre o cadáver da CRP.

Patrocínio:

1 comentário:

Joana Silveira disse...

E surgiram estas taxas para desincentivar idas desnecessárias às urgências e centros de saúde. Qual é a justificação para a subida de agora? Desincentivo total? Então que fechem de vez os serviços de saúde! É escusado estar-se a sustentar administradores incompetentes, estabelecimentos que não vão ter utentes, médicos sem serviço...
Derrubem os hospitais e façam cemitérios. Vão ser precisos!