quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Os dias da imaculada ocupação

Giovanni Maria Mastai-Ferrett. O nome pouco dirá à maioria dos portugueses, mas, pelas mãos do actual Governo, a sua importância na História portuguesa ficará muito acima da dos heróis da República (1910) e da dos nossos antepassados que nos devolveram a independência roubada pelos espanhóis durante todo o período filipino (1580-1640).


Mastai-Ferrett viveu muito antes do advento do autocarro, logo, não conheceu o perigo de engravidar que ainda hoje correm as portuguesas que se descuidem e se sentem em bancos ainda quentes, mas é graças a um estudo que incidiu sobre problemática semelhante, validado por este sexólogo do sec. XIX, que ainda hoje o dia 8 de Dezembro é feriado nacional. Tudo aconteceu em 1854. Há precisamente 157 anos, diante de uma plateia de 200 pessoas, Giovanni Maria Mastai-Ferrett, já Pio IX, converte a sua profunda convicção sobre os hábitos sexuais de uma personagem de um escrito com mais de 1700 anos na proclamação da imaculada concepção da Virgem Maria como um dogma de fé da Igreja através da encíclica Ineffabilis Deus.


É este delírio de um fanático que celebraremos em 2012. A Restauração da Independência (1 de Dezembro) e a Implantação da República Portuguesa (5 de Outubro) serão transformados por uma governação fanática em dias como outros quaisquer. Vivemos um dos períodos mais negros da nossa História. Espero que um dia possamos ter um feriado para celebrarmos condignamente a nossa libertação da opressão e pilhagem que esta corja exerce sobre o seu povo em representação da ocupação externa que administram com tanta brutalidade.

1 comentário:

Gi disse...

É verdade, Filipe, sem ir tão longe na investigação já me tinha perguntado qual a importância do 8 de Dezembro para que se mantivesse como feriado quando o 1º de Dezembro desaparece. É óbvio que é o resultado das negociações com a Igreja Católica. Mas enfim, talvez seja melhor deixarmos o pessoal descansar neste dia sem levantarmos demasiadas questões, e pode ser também que o 1º de Dezembro ganhe espontâneamente a força e visibilidade que lhe pretendem retirar ;-)