quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Nisto somos mesmo bons

Há uma mão, invisível mas poderosíssima, que está a empurrar Duarte Lima da Justiça brasileira para o aconchego da Justiça Portuguesa. Será a primeira vez que o Brasil abdica de julgar um crime, e logo um homicídio, e confiar essa parcela da sua soberania à Justiça do país do acusado. Bom, se acontecer, já sabemos como isto vai acabar, não sabemos? O mais difícil estará feito. A matéria de prova recolhida pelas autoridades brasileiras não terá qualquer valor em Portugal. Glória aos ladrões e assassinos. Nisto somos mesmo bons. Acho que nem vale a pena dizer que o Rei vai nu. Anda nu há tanto tempo que tem um bronze de fazer inveja ao próprio Mantorras.

Sem comentários: