sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Antes pelo contrário

Há os que irritam pela rigorosa consensualidade doentia que sempre procuram e há os que se destacam por chatearem com a controvérsia que sempre despertam. O treinador português de futebol José Mourinho, líder do banco do Real Madrid, foi eleito a "rockstar" de 2011 pela edição espanhola da revista Rolling Stone. A revista coloca Mourinho na capa e, no interior, traça um extenso perfil do homem que é especialista na "arte maquiavélica de chatear toda a gente". Detesto consensualidades e adoro controvérsias. Gostei de ver um prémio atribuído a quem se destaca, não por tentar agradar sempre a toda a gente colando-se à média aritmética de todos os demais, e sim por arriscar ser diferente nessa regra respeitando a sua identidade própria e concentrando-se numa eficácia à prova de balelas. E, confesso, nem aprecio particularmente a soberba de mourinho, nem nutro simpatia especial pela figura. Antes pelo contrário.

À pessoa Mourinho, naturalmente, deixo-a fora deste texto. Não por ter-me rendido eu também à onda consensual: porque não o conheço.

Sem comentários: