terça-feira, 29 de novembro de 2011

Venha o diabo e escolha

Em plena Guerra Fria, a filha de Estaline protagonizou um dos mais embaraçosos incidentes diplomáticos de que há memória: trocou a URSS pelos EUA – o comunismo pelo capitalismo. Morreu no passado dia 22 de Novembro, aos 85 anos, no estado americano do Wisconsin. Ter morrido de velhice e em liberdade será o consolo do fervor capitalista. Ter morrido na miséria e no isolamento, a desforra do fanatismo comunista. Pergunto-me eu, que não me revejo em nenhum dos lados, se há escolha possível entre uma liberdade esquartejada por um regime e outra desperdiçada numa solidão miserável. Entre uma e a outra, prefiro usar a liberdade de não ter que escolher nenhuma delas. Entre regimes que, de alguma forma, ou subalternizem ou não promovam a dignidade humana, que venha o diabo e faça o favor de escolhê-los para si.

Sem comentários: