terça-feira, 29 de novembro de 2011

Quem vai à guerra

Um grupo intitulado Lulzsec Portugal terá acedido ilegalmente aos computadores do Ministério da Administração Interna (MAI), copiado e divulgado os dados pessoais de mais de uma centena de efectivos da PSP a trabalharem em três esquadras de Lisboa. Num texto resumido, acompanhado do endereço onde os dados pessoais podem ser consultados, os hackers ameaçam vir a divulgar os elementos de todo o efectivo da PSP, argumentando que tal acontece como represália pelos actos de violência que terão sido praticados contra pessoas que, no dia 24, participaram, em frente à Assembleia da República, no protesto da greve geral. A Polícia apareceu em força, esta manhã, em todas as rádios e televisões a vitimizar-se por este crime que afecta a segurança tanto de bons como de maus profissionais. O início desta história que, para o bem da nossa democracia, nunca deveria ter acontecido, pode ser lida, por exemplo, aqui. É a versão que não passa na comunicação social convencional aliada das verdades oficiais. A democracia também estrebucha ao sabor das percepções que ajuda a condicionar.

1 comentário:

M. disse...

Ora nem mais!
Abraço,
Madalena