domingo, 27 de novembro de 2011

Orelhas de Burro (especial)


O Botas é que haveria de ficar radiante. O fado já é património imaterial da humanidade. Gosto de fado, fico feliz, mas acho que esta estranha forma de vida que vibra com estas nomeações e se resigna quando é espremida até ao tutano mereceria também, pelo menos, uma menção honrosa que a consagrasse oficialmente como património material dos que com ela enriquecem. Assim qualquer coisa como “a cantar é que te deixas levar”. O resto é futebol, Fátima e outra começada por F, que não digo por ser pecado e dada a hora festiva.

2 comentários:

Vítor Fernandes disse...

Oh Filipe, esta nomeação não paga a dívida nem me vai restituir metade do subsidio de natal que me vão roubar quando no dia 10 me pagarem a pensão de reforma, mas não me parece que esta sua crítica faça parte da nossa (sim, da sua e da minha) luta política contra o neo-liberalismo, a direita e pela defesa de quem trabalha. Mas opiniões são opiniões. Gosto muito de o ler, mas não vou por aí...

Filipe Tourais disse...

Também não foi esse o meu propósito, Vítor. Ao prémio, acho-o importante tanto cultural como até economicamente pelo turismo que pode atrair. Quis tão-somente comentar a atitude daqueles que vibram imenso com este tipo de notícias e nada com as que, porque influenciam determinantemente as suas vidas, deveriam captar a primeira das suas atenções. Ser português não é só fado, futebol e fátima. Ser patriota é, antes de tudo o mais, querer uma sociedade mais justa e melhor para todos.