quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Mais "promotores do fracasso do resgate financeiro"


A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) diz que “a política internacional não pode reduzir-se, nem muito menos submeter-se, a obscuros jogos de capital que fariam desaparecer a própria democracia”. Numa mensagem dirigida a todos os concidadãos e também aos imigrantes, no final da assembleia plenária, os bispos dizem que “o capital provém do trabalho que, realizando a pessoa humana, mantém prioridade absoluta”.


Os bispos recordam alguns dos factores que estiveram na origem da crise, no que a Portugal diz respeito: “Excessiva especulação financeira e pouca consistência económica somaram-se negativamente e tanto nos enfraqueceram internamente como nos prejudicaram internacionalmente. Alimentámos, ou alimentaram-nos, aspirações que agora são impossíveis de concretizar. Falha hoje a própria base material em que tudo o mais se sustenta, ou seja, uma vida económica saudável e suficientemente apoiada pelo investimento e pelo crédito, que garanta trabalho digno para todos: trabalho que é condição indispensável para o sustento e a realização das pessoas e das famílias.”(continua)

Sem comentários: