terça-feira, 15 de novembro de 2011

Democratizar um roubo, não, obrigadinho

Circulam para aí várias enquetes de publicações que perguntam aos seus leitores sobre que feriados abdicariam de ter. Recuso-me a responder a perguntas deste tipo, sobretudo porque na resposta não vem a opção "nenhum". Se querem roubar-nos ainda mais horas de descanso para tornar o factor trabalho ainda pior pago, não serei eu a facilitar-lhes a tarefa de pintar esta cleptocracia em tons democráticos. Não tarda, à notícia de que nos vão roubar outro salário, seguir-se-á a pergunta se preferimos que roubem o de Fevereiro, o de Junho ou o de Novembro, fechando a resposta à opção “vão mas é roubar a p..” Exactamente. Que vão roubar a mãe de todos os ladrões. Não estaríamos pior se tivesse abortado uns oito ou nove meses mais cedo.

Sem comentários: