segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Deixem falar o Paulinho das feiras


Os impostos, que já nos oprimiam, aumentaram como nunca. Os reformados, já o sabemos, foram eleitos pelo Governo como alvos preferenciais do empobrecimento que, dizem eles, com toda a valentia, estão a fomentar para nos tornar melhores pagadores das dívidas geradas pelas negociatas que seriam reveladas pela auditoria que evitam como podem. E a criminalidade alastra ao ritmo do desespero gerado pela fórmula mágica. Todos os dias é assaltada uma ourivesaria em Portugal. Todos os dias há 30 residências que são roubadas. As burlas para obtenção de alimentos e bebidas [compras em supermercados com cheques ou cartões falsos, por exemplo] aumentaram, no primeiro semestre do ano, quase 42% relativamente ao mesmo período do ano passado. Impostos, reformados e segurança, lembram-se? Por onde andará o Paulo Portas? Anda tão caladinho. Preocupa-me que possa ter sido raptado pelos marcianos.

Sem comentários: