sábado, 19 de novembro de 2011

Coimbra tem mais encanto na hora de quê?

Ao passar nas imediações do Estádio Cidade De Coimbra, mesmo aqui ao lado de casa, este cidadão deparou-se com um grupo de hominídeos vestidos de azul e branco que, ao mesmo tempo que choravam diluvianamente, iam soluçando “Pinto da Costa, snif (ranho pa-)dentro, olé, Pinto da Costa, snif (ranho pa-fora), olé”. Digo-vos, fiquei intrigadíssimo e, ao mesmo tempo, cheio de dó. Só não me aproximei para consolá-los porque a minha prudência higiénica avisou-me que aquele arzinho grotesco poderia fazer sobrar ranho para mim. Quando cheguei a casa… Aquilo eram portistas a carpir a derrota por 3-0 frente à Académica, que lhes custou a eliminação da Taça de Portugal. Coitados. Costumam pejar-me a caixa de comentários aqui do coiso com insultos quando escrevo textos como este. São uns castiços. Divertem-me tanto.

4 comentários:

Anónimo disse...

após 40 anos sem perder aí, carpir por perder um jogo? não seja burro, deixe-me rir :)

Fernando Lopes disse...

O Filipe que posta mais triste. Como se não existissem homúnculos de vermelho ou de verde e branco. Já os vi em todas as cores. Se tal não te aconteceu é daltonismo.

Brecht da Solum disse...

Há sempre um hominídeo grotesco por perto, seja de azul, vermelho ou verde. Há também aquela estirpe de humanóides repelentes que se entretém a escrevinhar blogues, encimados com citações de Brecht para dar aquele toque refinado-coimbrão, a mandar bitaites sobre o espectáculo do mundo. Pobres onanistas da parvónia mondeguense, onde nada se passa que interesse ao resto do mundo. Divertem-me imenso.

Filipe Tourais disse...

Podiam ter sido mais incisivos. De qualquer forma, obrigado pelas exemplificações e até à próxima.