segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Aulas práticas sobre voto útil: Saúde

Estão, certamente, novamente a gozar connosco. A notícia que se repete é a de que os doentes vão ter a liberdade de escolher o hospital prestador de cuidados de saúde independentemente do seu local de residência, mas o documento onde se lê a proposta é o mesmo que propõe também a concentração de unidades de saúde em mega-hospitais. O gozo continua com o objectivo proposto de afastar doentes chamados “não urgentes” das urgências hospitalares para Centros de Saúde desapetrechados e de substituir cuidados médicos por cuidados de enfermagem. E completa-se com a insistência no utilização do mesmo modelo que se identifica como um dos principais causadores da situação de endividamento a que o país chegou, as Parcerias Público-privadas, para financiar as unidades de Saúde a construir.


Resumindo: vamos ter inteira liberdade para escolher o hospital independentemente da nossa residência, mas vão dar-nos à escolha mega-hospitais com doentes amontoados ou então desviar-nos para centros de Saúde sem meios técnicos e humanos onde seremos tratados por um enfermeiro em vez de um médico. E as PPP são para continuar a enriquecer os amigos. O SNS é para continuar a desmantelar sem que deixe de proporcionar bons negócios aos “parceiros” privados.


Sem comentários: