quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Ai não gostam de políticos? A Goldman Sachs dá-vos "técnicos"

O recém-empossado primeiro-ministro italiano, Mario Monti, vai acumular também a pasta das Finanças e Economia no novo Governo, repleto de tecnocratas – “só peritos, sem políticos” de carreira, salienta mesmo o diário italiano Corriere della Serra, na sua edição online.


Outro periódico, este francês, o “Le Monde”, tal como nós aqui, destaca os traços comuns dos novos primeiros ministros da Itália e da Grécia, Monti e Papademos, o novo presidente do BCE, Mario Draghi e muitas outras figuras ilustres com muito poder : o banco Goldman Sachs e a Comissão Trilateral, duas organizações sinistras que foram tecendo uma rede de influência única”, com fortes ligações “tanto subterrâneas, como públicas”, capaz de fazer com que os cidadãos desaparecessem das prioridades da política económica europeia.


A organização europeia dos idiotas unidos (OEIU) patenteou a frase "Os políticos são todos iguais". A Goldman Sachs está a aproveitar a deixa para fornecer a competência técnica dos seus quadros. Já o sabemos, ninguém as faz como a Goldman Sachs, mas todas as ajudas, por mais idiotas e especialmente estas, são muito bem-vindas. Como pode ver-se, o desafio de rentabilizar tanta abundância de idiotas tem sido uma aposta ganha.


2 comentários:

Gi disse...

Não me ofende que um governo não tenha "políticos, só peritos", o que me ofende, claro, é que os italianos não tenham uma palavra a dizer sobre o assunto.

Filipe Tourais disse...

É impossivel que um Governo, que existe para fazer política, não tenha políticos. O que acontece é que "perito" é apenas uma máscara de falsa neutralidade para uma agenda política bem conhecida. São tão peritos e tão políticos como os outros, com a diferença de não serem eleitos.