sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Gostei de ler: "Um programa pouco contraditório"

«Já sigo há uns anos (ou seguia, até há uns meses) o programa Contraditório da Antena 1, starring Ana Sá Lopes, Carlos Magno e Luís Delgado. Achava-o inicialmente razoavelmente arejado, que nos brindava com opiniões válidas e, sobretudo, diferentes, fazendo jus ao seu nome. Porém, com o tempo, os intervenientes – porventura fruto da endogamia intelectual criada pelo programa – foram convergindo nas suas opiniões e (consequentemente) perdendo qualquer sentido crítico em relação às suas posições. O resultado disto é quase uma hora semanal de conversa entediante (ou, opostamente, profundamente irritante), em que as intervenções de cada um começam quase invariavelmente com uma qualquer vulgaridade, evoluindo, na ausência de contraditório e na resultante crescente autoconfiança do opinador, para as maiores baboseiras.


Para concluir, pergunto-me se este tipo de programa não deveria ver o seu plantel renovado mais frequentemente, sob pena de confluir para este dificilmente evitável fim. Na verdade, tudo aponta para que tal venha a acontecer num futuro breve, por força de outras circunstâncias- José Maria Gui Pimentel, no Delito de Opinião.


E não resisto ao contraditório: concordando no demais, nunca achei o programa nada arejado. Pelo contrário, sempre me irritou este exemplo de utilização de um espaço público, pago com o dinheiro de todos os contribuintes, para recreio de três instalados de um regime interessado na difusão de um conceito de “contraditório” a descobrir nas pequenas nuances dentro do mesmo tom de uma só cor. O único contraditório que consigo descortinar no programa é um grupo constituído por três pessoas utilizar o tempo de antena e a visibilidade que lhes são oferecidos para defenderem o tal “emagrecimento” de um Estado que se recusa a engordar com os seus honorários. Mas agradou-me verificar que, milhares de euros e de votos depois, o formato já satura até mesmo quem notoriamente tem bastante mais paciência do que eu para procurar pluralidade na gente da situação.

Sem comentários: