sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Em exibição, no circo mais perto de si

A Standard&Poor's admitiu, esta sexta-feira, numa declaração entregue num tribunal australiano, que a «notação é uma arte, não uma ciência». A S&P explicou ainda que as notações não são uma «exposição de factos» e que a atribuição de um «triplo A» não significa ausência de risco. Eles dão as notas, depois chegam ao palco mais artistas que desatam a inflacionar os juros nos mercados de dívida com que se remuneram e, finalmente, é a vez de outros actores dizerem que os mercados estão nervosos e que temos que fazer sacrifícios para os acalmar. Coagida pelos críticos de arte que dão nota máxima à actuação destes últimos, A maioria da plateia prontifica-se de imediato e aplaude o seu ar responsável e o seu sentido de Estado, sem poupar um olhar de crítica patriótica dirigido a uma minoria que não se deixa levar em histórias da carochinha. Se ainda não assistiu ao espectáculo, tranquilize-se: a bilheteira está aberta 24 horas por dia, 7 dias por semana e a lotação é ilimitada. Sigam até ao fundo, até lá mesmo ao fundo, é à direita. Assistir até cansar.

Sem comentários: