domingo, 23 de outubro de 2011

E não se fala mais nisso

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, anunciou hoje que na segunda-feira irá renunciar ao subsídio de alojamento. Explicação: por “decisão pessoal” sua condescende em abdicar deste direito que a lei lhe dá porque não quer “estar a perder mais um minuto da sua atenção com uma polémica deste género. Nada a ver, portanto, com a lei não ser à prova de chico-esperto e com parte do seu chico-espertismo ter pintado as páginas dos jornais. Miguel Macedo há muito que estava a equacionar renunciar aos 1400 euros mensais a que têm direito os titulares de cargos como o seu que não tenham residência em Lisboa, como é o seu caso. Seria na Segunda-feira, independentemente de ter sido descoberto. Há sempre coincidências engraçadas nas vidas dos chicos-espertos que chegam a Ministro. Renuncia, não devolve o indevidamente recebido, e não se demite. E faz muito bem. Ou melhor, fazem. Afinal, a bem da verdade, a lei também nada diz ao respeito.

(editado)

2 comentários:

Zebedeu Flautista disse...

Agora toca todos a puxar a carroça para revogar a lei que concede o subsidio.
Quero lá saber se tem casa ou não na capital.
Aluguem um quartinho se os 4000 euros mensais não dá para mais.

Anónimo disse...

Investiguem: se a casa de Algés de Miguel Macedo é uma hipoteca do BCP e se foi comprada para habitação própria não a pode alugar. Se não a pode alugar é para habitação própria. Logo: ele cometeu uma ilegalidade inadmissível num ministro e deve ser penalizado políticamente. Demitir-se é a solução.