quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Comunicado da Liga dos Amigos da ®FarmaLobby

A acompanhar a receita de um medicamento, os doentes vão passar a receber um folheto entregue pelo médico a aconselhá-los a não autorizar qualquer alteração ao fármaco que lhes foi prescrito. É desta forma que a Ordem dos Médicos pretende reagir à nova proposta de lei de prescrição por Denominação Comum Internacional (DCI), apresentada pelo Governo e que será votada na Assembleia da República na próxima sexta-feira.

Ainda não tive oportunidade de ver a Ordem dos Médicos a questionar sustentadamente a qualidade dos genéricos ou a contestar que são substitutos perfeitos de medicamentos mais caros. O princípio activo de um medicamento não advém nem de quem o prescreve, nem do seu preço, nem de comissões ou férias pagas que as farmacêuticas possam eventualmente distribuir pelos seus campeões da prescrição. Sem folheto informativo.

Sem comentários: