sábado, 22 de outubro de 2011

Cavaco e as faltas de coiso


Cavaco tirou o Sábado para brincar no facebook. Desta vez, lembrou-se de se recrear com o “sentido de responsabilidade”, esse termo actualmente tão em moda como as redes sociais e que tanto pode significar a condenação à miséria de milhões de pessoas através de uma austeridade selectiva como incluir o enriquecimento de um insuspeito “simplesmente professor” que, pela calada da noite ou do dia, toma parte no banquete BPN cuja factura está a ser paga por quase todos os portugueses: exigiu-o aos líderes europeus.


Bem sei que o presidencialês é difícil até para os estudiosos e tenho consciência de que Cavaco foi apanhado no meio de uma participação bastante activa na refundação do conceito do tal malfadado “sentido de responsabilidade”. E, como não me parece que seja lógico exigi-lo a quem o tem pelo menos em dose suficiente para afastar a presidencial exigência, sou forçado a concluir que, com sentido de responsabilidade” a rodos, Cavaco Silva foi hoje ao facebook chamar irresponsáveis aos senhores do directório. Que bem! Também sou dessa opinião.


E salta-me a pergunta: incomparavelmente pior do que ser irresponsável é alguém que se dispõe a despojar um povo de presente e de futuro seguindo as ordens desses irresponsáveis sem um ai de protesto, como um cão geneticamente programado para obedecer e desprovido de sentido crítico segue o seu dono criminoso, não é, senhor presidente? Para ele, nada? Lembro-me do sentido de responsabilidade silencioso que não dirigiu uma palavra sequer a Alberto João Jardim quando o seu sentido de irresponsabilidade se escancarou para o mundo. A pergunta pode não aplicar-se ao colega de silêncio. Impacienta-me. Mas por que raio, em vez de “sentido de responsabilidade”, não dizem apenas “o coiso”? Têm todos imensa falta de coiso, seria mais do que suficiente e muitíssimo menos controverso. À falta de melhor, que o há, o sentido de responsabilidade bem poderiam reservá-lo para as vacas quando avançam, umas atrás das outras, para uma ordenha situada o suficientemente longe da da Quinta da Coelha.

2 comentários:

AMCD disse...

Ordenhados estamos a ser nós! Esbulhados até à última gota!

M. disse...

Mas o povo gosta, não vê os "likes" ao sô presidente? Consta inclusive que foram puerilmente à página do FB pedir-lhe que salvasse o país!
Abraço,
Madalena