terça-feira, 13 de setembro de 2011

Pobrezinhos, mas agradecidos pelo aumento

No mês passado, o Governo anunciou aumentos no IVA da electricidade e do gás de 17 por cento, de 6 para 23 por cento. Hoje, o anúncio é de uma redução na tarifa para os mais carenciados, de 2 por cento para o gás e de 6 por cento para a electricidade. Fazendo as contas, em vez do aumento de 16,04 por cento no valor da factura, os abrangidos pela generosidade do Governo verão aquele aumento reduzido para 13,72 por cento no caso do gás e para 9,08 por cento no caso da electricidade, valores que comparam com a descida do salário real correspondente aos 2,9 por cento da inflação verificada nos últimos 12 meses.. Em euros, são menos 2,32 e menos 6,96 euros por cada cem gastos, respectivamente, em gás e electricidade. Uma esmola que cada um terá que pedir e, naturalmente, apesar da enorme subida, agradecer ainda de mão estendida: obrigadinho pelo aumento!

4 comentários:

Anónimo disse...

6 para o gás e 2 para electricidade

Anónimo disse...

Desculpe. Quis corrigir uma informação correcta.
Apague os 2 comentários.

Gi disse...

Já agora, uma subida de 6% para 23% não corresponde a um aumento de quase 300%?

Filipe Tourais disse...

Não, Gi. Um aumento de 6 para 23, é verdade, corresponde a um aumento de =((23-6)/6) ---> 2,83333 = 283,33%, mas estamos a comparar duas percentagens, usa-se a subtração: se aumentar de 6% para 23%, aumentza 17% (é um valor relativo (a uma base)).