domingo, 25 de setembro de 2011

A luta continua (também) em Angola


Em Angola, a luta continua. Uma marcha de protesto convocada para exigir a deposição do regime cleptocrático liderado por José Eduardo dos Santos foi estancada pela polícia dez minutos depois de começar. O Governo português continua em silêncio diante dos sucessivos atropelos aos valores da liberdade de expressão, da democracia e dos direitos humanos. E nem as agressões de que foram alvo pela segunda vez jornalistas portugueses da RTP fazem os nossos governantes perder a vergonha. Uma de muitas explicações para tanto cuidado encontramo-la neste relatório onde, lado a lado com o enriquecimento criminoso de uma corja de altas patentes militares do regime angolano, aparecem alguns dos nomes daqueles que, embora não concorram a eleições e, como tal, não sejam eleitos, porque são quem realmente detém o poder em Portugal, estão entre aquele grupo restrito dos que têm ordem para enriquecer. Cá e lá. Vale a pena ler com toda a atenção esta desmontagem dos roubos monumentais feitos através de uma teia sinistra muito bem urdida a partir da casa presidencial. A sua autoria é do Movimento MAKA Angola. A do vídeo junto é do movimento 7311, cujo nome se deve à data do primeiro protesto desta onda crescente de contestação em Angola.

Sem comentários: