segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Comunhão ideológica

O tribunal de polícia de Luanda condenou 17 manifestantes detidos num protesto contra o Governo e o Presidente José Eduardo dos Santos a penas entre 45 dias e três meses de prisão. Em Angola, a liberdade de expressão, comprova-se mais uma vez, é uma miragem. Tal como a defesa intransigente dos valores da democracia e da liberdade dos nossos governantes é uma fantasia. Não admira. “Suspendia-se a democracia por seis meses e punha-se tudo na ordem”, como defendia a tia Manuela. Na ordem Amorim, PT Bluestation, Mello Saúde ou na de uma qualquer das muitas detidas pela Sonangol. Ressalta a comunhão ideológica que explica o silêncio. E, em Portugal, as manifestações são já a seguir. Será que também haverá detenções arbitrárias? A nossa democracia será posta à prova.

1 comentário:

Anónimo disse...

Uns professores açorianos foram identificados por PSP's à paisana quando se manifestavam pacificamente e sem perturbar o trânsito.