segunda-feira, 19 de setembro de 2011

A bola e o creme

Na Alemanha, são cada vez menos os adeptos da bola de Berlim (a CDU encolheu pela sexta vez) e os viciados no creme enjoaram-se (a CSU quase desapareceu). Assim é que se eliminam as gorduras dos Estados.


O Partido Pirata, recentemente formado, foi a grande surpresa destas eleições. Apoiado pela população mais jovem, conseguiu atingir os 9 por cento, assegurando o acesso, pela primeira vez, à câmara de um estado federado germânico. Este partido apoia medidas como a total liberdade de copiar conteúdos na Internet e transportes públicos gratuitos. O partido de esquerda Die Linke desceu de 13,4 para 11,6 por cento dos votos.

2 comentários:

Eduardo Miguel Pereira disse...

Intolerável é que já hoje tenhamos sido presenteados com a informação de que os "mercados" (seja lá isso o que for ?) foram afectados pelos resultados negativos do partido da "bola de berlim", ou seja, a mensagem é :

- Deixem-se de brincadeiras, que isso de votar à esquerda só vos vai fazer aumentar os problemas com os títulos de dívida.

Quando isto não é uma ditadura, não sei o que seja.

Filipe Tourais disse...

É apenas uma interpretação, a que mais lhes convém. Nada nos diz que se tivessem ganho, os mercados não teriam reagido da mesma forma. A economia está em cacos, não cria emprego e Portugal, Grécia, Itália e Espanha afundam-se na austeridade que não recua diante dos resultados calamitosos que vem provocando. E os mercados reagem a isto. Faz bastante mais sentido do que a explicação que melhor serve as Merkels e os Coelhos desta vida. Outra, também plausível, é a de que os juros vão continuar a subir, no matter what, porque é o que mais convém a quem ganha rios de dinheiro com isso.