quinta-feira, 14 de julho de 2011

Testes de stress à Educação baratinha: o sucesso escolar do socialismo banqueiro

São os piores resultados dos últimos anos. Pela primeira vez desde 2007, a média do exame nacional de Matemática do 9º ano realizado no mês passado voltou a ser negativa (43%, 50% no ano anterior). A percentagem de negativas subiu para 58%. E a de Língua Portuguesa sofreu uma quebra de cinco pontos por comparação aos anos anteriores (51%). A percentagem de negativas subiu para 43,6 por cento por comparação aos 29,7 de 2010. Nesta disciplina, foi o segundo pior resultado em sete anos de exames nacionais.


Um poema de Álvaro de Campos baralhou os alunos do 12.º ano que, no mês passado, realizaram o exame nacional de Português. As perguntas de gramática também não ajudaram. O resultado foi uma média negativa, a mais baixa em 14 anos de exames nacionais no ensino secundário. Numa escala de 0 a 20, a média total foi de 8,9, menos 14 pontos do que a obtida em 2010. O exame de Português é obrigatório para todos os alunos do 12.º ano.


Bastou aumentar um pouco o nível de exigência para que a herança de analfabetismo certificado do socialismo banqueiro ficasse exposta. Foram seis anos a promover um sucesso artificial como forma de reduzir custos através da diminuição do número de repetentes, seis anos dos quais fica também a memória da tentativa gorada de introduzir a medida da colaboração com este passe-vitte como critério de avaliação da classe docente.

Sem comentários: