sexta-feira, 15 de julho de 2011

Uma no Crato

Substituir as horas de “Estudo Acompanhado” e de “Área de Projecto” pelo reforço da carga horária das disciplinas de Língua Portuguesa e de Matemática parece-me muito bem decidido. Nuno Crato retira recursos de um folclore que pouco ou nada acrescenta ao ensino e aposta em duas disciplinas que são ferramentas essenciais da aprendizagem em todas as áreas do conhecimento. Gostei. Mas já não gostei disto.

3 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

O que eu acho é que ganhamos muito pouco em estas decisões estarem centralizadas num ministério. acho mal que um ministro se preocupe com assuntos manifestamente técnicos e para os quais ainda por cima desconfio que não há uma solução global. Em muitos casos esta pode ser uma boa decisão. Noutros não. Porque não pode ser cada escola a estabelecer os seus programas e métodos? Porque é que tem de existir uma máquina central que decide programas ao detalhe? Porque razão não se estabelecem apenas métricas gerais e se confia nas escolas e nos professores? será que precisamos mesmo de todo este controlo burocrático? Notem que isto não é responsabilidade deste ministro e no geral também acho que esta é uma boa ideia. Mas penso que a reflexão deveria ser mais profunda e que o próprio papel do ministério da educação deveria ser repensado.

asmodeux disse...

Eu também não, quem é que paga a manutenção das escolas e dos computadores lá das escolas?

E o transporte dos quase 1500 alunos?

Uma cambulhada de camionetas desde a aldeia dos Carvalhos até à ribeira dos Moios.

Kruzes Kanhoto disse...

Deixámos morrer extensas zonas do país e só agora quando se anunciam encerramentos de serviços públicos é que nos preocupamos. Agora já é tarde. Demasiado tarde.